Especial sobre o Nafoto – Parte 1

Comentários 3

Logo criado por Ricardo Othake e versão em 3D de Darcy Vieira feita em 2003

Há dezessete anos, em maio de 1993, acontecia o 1° Mês Internacional da Fotografia. O Mês foi um marco na história da fotografia brasileira com suas exposições e workshops internacionais e foi pensado bem antes, em 1991. Teve num projeto coletivo, a sua origem: era o Nafoto – Núcleo dos Amigos da Fotografia.

Porém, vários colaboradores foram fundamentais para o Nafoto, como: Julia Raposo, Fabiana Fiqueiredo, Eduardo Muylaert, Lily Sverner, Thomaz Farkas, José Mindlin, Murilo da Silva Freire, Fabio Magalhães, Nicolau Sevcenko, Stela Senra, Laymart dos Santos, Marcelo Coelho, Aristides Alves, Alberto Viana, Beatriz Dantas, Leopoldo Plentz, Luis Humberto, Miguel Chikaoka, Pedro Vasquez, Tiago Santana, Américo Mariano, Fernando Natallicci, Valdir Cruz, Roberto Ceccato, Iatã Cannabrava e Ricardo Othake (criador do logo do Nafoto).

O Olhavê pretende fazer uma homenagem ao Nafoto e ao Mês Internacional da Fotografia relembrando essas ações, tão importantes e fundantes para a fotografia nacional dos dias de hoje. Para começar, nada mais natural do que ouvir alguns dos fundadores do Nafoto, em 1991. Tentei um papo rápido com os personagens que aparecem nesta foto abaixo, feita por Márcio Scavone e publicada na revista Irisfoto de maio de 1993, ano do 1º Mês.

Este primeiro post é um relato de Juvenal Pereira.

A ideia é que seja só um começo, um resgate e um debate mais amplo. Em 2011, o Nafoto pretende comemorar os vinte anos do núcleo lançando um catálogo com todas as suas atividades.

Foto: Márcio Scavone (digitalizada da Irisfoto de maio de 1993)

Em pé: Nair Benedicto, Rubens Fernandes Junior, Juvenal Pereira, Eduardo Castanho, Fausto Chermont. Sentadas: Rosely Nakagawa e Bel Amado.

Por Juvenal Pereira.

Eu comecei na fotografia trocando uma espingarda Winchester, por uma máquina fotográfica, em 1968 – um ano ímpar.

Em 1971, fui contratado pela revista O Cruzeiro. Saindo do Clube da Esquina para Salvador – BA.

Em 1976, criamos a União dos Fotógrafos de Brasília.

Em 1981, criamos a União dos Fotógrafos de São Paulo.

Em 1991, criamos o Nafoto e o Mês Internacional da Fotografia.

Nesta trajetória, fui colecionando informações por onde andava fotografando e conversando. Os fotógrafos que queriam melhor visibilidade do trabalho autoral iam para os USA e Europa, perambulando pelas galerias mostrando sua produção, negociando no exterior, na língua e nos sotaques deles.

Stefania Brill mostrou na Casa da Fotografia Fuji o que tinha acontecido no Mois de La Photographie em Paris (1990). Fiquei encantado e perguntei pra mim mesmo: “Porque não fazemos um evento semelhante aquí no Brasil?” Fui à Luta.

Convidei dez pessoas que admirava: Eduardo Castanho, Eduardo Simões, Marcos Santilli, Iatã Cannabrava (substituído pelo Fausto Chermont), Rosely Nakagawa, Nair Benedicto, Rubens Fernandes Junior, Isabel Amado e Stefania Bril para iniciarmos o processo do Mês Internacional da Fotografia. A primeira reunião foi na Casa Fuji, no dia 9 de abril de 1991, na sequência, criamos o Nafoto.  Um agradecimento especial ao Ricardo Othake que fez toda a programação visual.

Em 1993, aconteceu o primeiro Mês internacional da Fotografia e vieram curadores de mais de uma dezena de países, colecionadores e São Paulo ferveu.

A fotografia brasileira era como eu, autodidata, e daí pra frente é o que vemos agora. Cursos superiores, curadores brasileiros, eventos de norte a sul e a profissão que escolhi e que adoro exercer não é mais tão frágil. Hoje é respeitada e admirada pelos quatro cantos do planeta. Atualmente estudo na USP (Antropologia e Marketing).

Comentários 3

  1. Maravilhosa iniciativa de registrar essa parte tão importante pra fotografia brasileira que como foi dito em 91, “o Mês Internacional da Fotografia foi um divisor de águas”.
    parabéns.

  2. Denise Guimarães 01/06/2010

    A Fotografia cresceu o Brasil graças a iniciativas como esta, de fotógrafos de coragem e apaixonados pela profissão.
    Obrigada, NAFOTO. Saibam que um dia a iniciativa de vocês teve importância fundamental em minha vida profissional. Um abraço.

  3. juan esteves 31/05/2010

    Muito bem lembrado Belém!
    Mais do que um evento foi uma primeira congregação internacional de fato que a fotografia brasileira presenciou.
    Tive o prazer, e uma honra maior, de participar a exposição de lançamento do Mês em 1991, na saudosa Galeria Fotoptica e acompanhar os eventos a cada ano. Oportunidades raras de conhecer e fotografar fotógrafos como Joel-Peter Witkin, Alain Fleicher, Joan Fontcuberta, Graciela Iturbide, Josef Koudelka, Walter Rosemblum entre tantos.
    Também eventos que marcaram como a Bienal de Fotojornalismo, mostras antológicas como “Havana” de Claudio Edinger, na Fotoptica, Henri Cartier-Bresson na Aliança Francesa, MArio Cravo NEto e Josef Koudelka cada um com uma mostra maravilhosa no MASP.
    Especialíssima exposição de retratos de Carlos Freire, um dos maiores fotógrafos brasileiros . Aqui um aparte, pois tanto Alécio de Andrade quanto CArlos Freire, mal são conhecidos no Brasil, apesar de seu reconhecimento internacional. Mérito do NAFOTO na escolha!
    Martin Chambi na saudosa Casa de Fotografia Fuji, Willian Ropp, na Pinacoteca do Estado. Michael O’Neill, no MAC -USP, e um workshop deste de deixar saudade, assim como outro grande do japonês Keichi Tahara e muito, mais muito mais que nos conectou realmente com o mundo lá fora.
    A todos amigos do NAFOTO os meus parabéns pelo verdadeiro estoicismo que foi criar e levar adiante um evento deste porte e qualidade, que honram a fotografia brasileira.
    Estamos aguardando o próximo mês!
    Abraços a todos.
    Juan Esteves

Deixe um comentário