Outra dimensão

Comentários 3

Foto: Guy Veloso

No sábado, zapeando pela televisão, a TV Cultura estava passando uma reportagem sobre fotografia no programa Vitrine. No final, uma reportagem sobre a exposição da Coleção Pirelli/MASP e me programei para no domingo conferir a mostra. Não fui para a vernissage por falta de tempo e, realmente, dia de vernissage não é para ver obra.

Mas, voltando para o título do post, é o seguinte:

Dos 18 autores, já conhecia muita gente e muitos dos ensaios. Porém, deixei o MASP com uma sensação muito boa. Pode parecer piegas, mas ver aquelas obras impressas, para mim, foi uma experiência e sensação novas.

Vivendo num mundo de fotos na tela, Flickr, blog, internet, portfólio digital e iPad, um print de 1 metro por alguma coisa, é um êxtase. Putz! Está muito bonito.

Quatro trabalhos, em especial, são espetaculares e é para ficar parado só apreciando: Guy Veloso, Gustavo Lacerda, Márcio Rodrigues e Marco Mendes. São trabalhos que conheço bem e o Márcio e Marco, tive a chance de ver todo o ensaio quando fui da comissão do Conrado Wessel. Mas…

Acho que aquelas obras se desprendem da fotografia original (digital, negativo, cromo) e criam nova vida, tornando uma fotografia original, com poder e estatuto de coisa real. Como se, agora, a matriz pudesse ser deletada ou rasgada. Já basta. Está lá para todo mundo ver e numa coleção que conservará para gerações futuras.

Vale registrar o lindo material do gente-finíssima Alexandre Sequeira, Marlene Bergamo com suas noites, retratos especiais de Ivan Cardoso, a Cia de Foto (primeiro coletivo na Pirelli/MASP) e George Love, que sou fã.

Show de bola!

Comprei o livro e queria comprar as fotos. 🙂

Foto: Gustavo Lacerda

Coleção Pirelli/MASP de Fotografia – 18ª Edição

Em exposição: 12 de agosto a 3 de outubro, na Galeria Horácio Lafer, 1º andar.

MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – Av. Paulista, 1578. Acesso a deficientes. Horários: De 3ªs a domingos e feriados, das 11h às 18h. Às 5ªs: das 11h às 20h.

Comentários 3

  1. Iatã Cannabrava 23/08/2010

    Alexandre,

    Tb estive lá no domingo, fui com meu pequeno. Realmente está edição está especial, tem algo no ar que vem a confirmar o bom momento que vive nossa fotografia, e que com certeza começou anos antes com George Love e seus contemporâneos!
    Salve!

  2. Escrevi sobre o evento mas ainda não fui conferir! Depois de ler suas linhas, a vontade se potencializou.
    ainda mais o trabalho do Guy Veloso! se as fotografias já me arrepiam na frente do computador…

    Aliás, alguma ansiedade para o trabalho do paraense na 29ª?

    abraços!!

  3. Excelente comentário sobre a mostra, conseguiu expressar em poucas palavras o sentimento da maioria das pessoas que estiveram por lá! Realmente ver as obras impressas naquele formato, naquele tamanho dá uma sensação de prazer visual, muito bom! Vale a pena ver!

Deixe um comentário