Derivativas?

Comentários 6

©David Burdeny | Bent Pyramid from Sacred & Secular, 2009

©Sze Tsung Leong | Dahshur, Egypt from Horizons, 2007

©David Burdeny | Meoto Iwa, Futami, Japan, 2009

©Sze Tsung Leong | Meoto Iwa, Futami, Japan, 2008

Se você achou estas fotos parecidas, o galerista Yossi Milo, de Nova York, também teve a mesma impressão. A galeria representa o artista Sze Tsung Leong e não gostou de ver as obras do canadense David Burdeny.

A série “Sacred & Secular”, de Burdeny é de 2009 e “Horizons”, de Leong, é de 2007/2008. Bem, toda a história pode ser conferida aqui e aqui.

Fonte: PDN Pulse.

Comentários 6

  1. Em função de tantas coincidências chego a pensar que trata-se de “homenagem” em série do David Burdeny a trabalhos realizados anteriormente.

  2. Wank Carmo 18/02/2010

    Caros amigos, estamos num incêndio e no lugar do sinistro, vários fotógrafos circulam em busca do enquadramento que melhor possa ser lido, interpretado pelo futuro espectador. Eis que de repente, alguém viu a foto, mas, na retaguarda do primeiro, tem um cara que viu também a mesma configuração estética que dá um toque especial à fotografia que ele pretende levar à redação. Pronto! Teremos dois cliques, feitos na mesma hora, distância focal praticamente idênticas, aberturas, velocidades, etc.
    Bem, estava eu fotografando uma índia bem pobre, necessitada mesmo, que raspava o arroz que sobrou sobre o asfalto, numa operação de distribuição política para massas viciadas em bolsa família. Assim que acabei de fazer a foto, uma única foto, pois a luz já estava alta e feia para quem não suporta usar flash para dar aquele preenchimento, aparece um cara e faz praticamente a mesma foto.Fulminei-o com um olhar, o cínico saiu e foi dormir com a consciência tranqüila. Ética! A maldita falta de, ética.
    Sinto-me aperreado em fotografar o universo que vivo, porque por aqui já passaram pela amazônia, Claudia Andujar, George Love, Pedro Martinelli, Nair Benedcito, etc e tal. Então, sobrou-me a obrigação de fugir, de esquecer tudo que já vi, para descontaminar meu olhar, minha mente; não permitir-me ser venalmente preguiçoso. Esta é minha preocupação máxima antes de desenvolver um tema, antes de dar o primeiro clique.
    No caso dos dois cavalheiros citados inteligentemente pelo editor do blog Alexandre Belém, sobra-me um veredicto: dois pebas!
    Em tempo: quando vejo esses tipos de trabalho, sinto-me animado ainda mais em pegar na câmera e sair por aí…

  3. Ahhh…
    Então é norte-americano plagiando norte-americano!
    Briga de cachorro grande, eu diria.
    As outras duas citadas, Loretta e Sanguinetti, essas conhecemos bem…
    Hehehe.

  4. Alexandre Belém 18/02/2010

    Oi Clicio,

    Concordo com você sobre “um mundo inundado de imagens como o nosso, com pontos previamente demarcados para a “melhor vista fotográfica””. Perfeito!

    O Leong é americano e tem uma carreira já bem conceituada. Na Yossi Milo, ele é colega de Loretta Lux e Sanguinetti.

    Valeu.

  5. Caro Belém.

    Deve ser coincidência.
    Onde já se viu fotógrafos norte-americanos copiarem trabalhos de fotógrafos asiáticos?
    Isso não existe, é lenda, mito.
    Sem ironias, em um mundo inundado de imagens como o nosso, com pontos previamente demarcados para a “melhor vista fotográfica” dos mais conhecidos monumentos, essas similaridades entre imagens se tornam cada vez mais comuns…
    Estranha época em que vivemos!
    Abs, Clicio

Deixe um comentário