Guilherme Maranhão

Comentários 15

O bigode do gato 007 – re-fotografia. from Guilherme Outsuka on Vimeo.

Já faz algum tempo que quero fazer um post sobre o trabalho do fotógrafo Guilherme Maranhão. Explicar o que ele faz é meio complicado em poucas linhas e poderia não ser claro.

Então, assista o vídeo acima.

Guilherme produz imagem de um jeito diferente e consegue um resultado extremamente interessante. Só como exemplo, tem essa imagem abaixo que faz parte do Clube de Fotografia do Mam/SP.

Para conhecer mais o trabalho de Guilherme, aqui.

maran_1

Foto: Guilherme Maranhão

Comentários 15

  1. o guilherme maranhão arrasa! sempre que posso falo sobre o trabalho dele para os alunos ou o convido para dar alguma oficina, pois sinto a mesma dificuldade em explicar os processos fotográficos tão incríveis e incomuns que ele utiliza. fiquei muito satisfeita em apresentar um guilherme a outro, que resultou nesse video tão bacana e instrutivo.

  2. Olha que coisa.. eu olhando uns sites de fotografia e vejo… nossa q mto loco isso de fotografar com scaner, aí pensei, mas espera.. eu ja ouvi falar disso em algum lugar… qndo vejo, siiiim… na MINHA escola de fotografia… kkkkk … Guilherme tb é parceiro do mestre André da Rever…. caramba… como o andré diz… “tamo na mesma vibe”.

  3. jack label 07/04/2010

    Eu conhecia algumas imagens produzidas nesse estilo, mas nao tinha ideia de como o scanner tinha sido alterado para tal feito. E fantastico, da ideia ate a realizacao, parabens tanto na conceituacao e desmitificacao do processo quanto ao resultado tanto das imagens capturadas quanto ao video produzido.

  4. É sempre bom ver um pouco mais do ótimo trabalho do Guilherme! Também tem um ensaio dele na edição atual da revista +Soma. Vale conferir…
    E aproveito para elogiar o OlhaVê, que está cada dia melhor!

  5. Exatamente Ravena. Vc colocou bem, importante as adições, somas de processos, hibridações, etecetera… para ajudar entender estes novos processos, é interessante conhecer os – digamos assim – antigos e sua história… é interessante observar a coexistência de processos e “instantes” diversos… valeu!

  6. O Mike Golembewski é um figura que ganhou uma bolsa da Audi para estudar esse tipo de fotografia. Entrei em contato com ele durante o meu TCC.
    Acho interessante que ele optou por usar um outro tipo de CCD, maior, encontrado nos scanners tipo LIDE.
    Outra referência importante nesse meio é o Andrew Davidhazy: http://www.rit.edu/~andpph/ Ali ele conta a história desses processos fotográficos. Bacana!
    Obrigado pelas mensagens!

  7. Ravena Maia 07/04/2010

    andré, vc tem razão, mas preciso entender melhor esses “outros” instantes….acho este um dos exemplos que poderiam gerar longas discussões sobre o assunto de instantes fotográficos e é muito bom quando surgem trabalhos assim…que amplia a discussão, revisam parâmetros e subvertem as tecnologias…

  8. zeferino 07/04/2010

    já conhecia o trabalho, mas não o processo. muito bom conhecer.

  9. Vi em algum lugar que não me lembro agora, um gringo experimentando essas hibridações. É um processo, um meio… mas eu diria, Ravena, que o instante fotográfico continua, e agora temos esses “outros” instantes…

  10. Ravena Maia 07/04/2010

    Trabalho maravilhoso!!! Faz pensar em toda a discussão sobre a concepção da imagem com as novas tecnologias. Ao ver este trabalho, o que podemos dizer sobre o famoso “instante fotográfico”?
    magnífico.

  11. Muito bom, Belém. Gosto bastante do trabalho do Guilherme, tanto pelo resultado quanto pelo processo e pela “reciclagem” que ele faz.

  12. Olha!!!

    Coisa boa de ver de manhã. Sou um apreciador do trabalho do Gilherme desde que comecei.
    Cheguei até ele procurando trabalhos sobre o desabamento do shopping Osasco.
    Não achei o link do site dele para o ensaio mas ele tem um post com o processo de criação que vale o click
    http://refotografia.wordpress.com/2008/08/14/366/

    seu blog Retrografia cheio de “labirintos” e propostas tem esta que é uma das mais interessantes http://refotografia.wordpress.com/pegue-um-deixe-um/

    Abraço Belem

Deixe um comentário