Thyago Nogueira

Comentários 4

Autorretrato

Hoje, no Rio de Janeiro, e sábado, em São Paulo, será lançada a revista ZUM. Revista de e sobre fotografia do Instituto Moreira Salles. “Uma revista contemporânea sobre a fotografia”, como diz o seu editor, Thyago Nogueira neste Papo rápido com o Olhavê.

Sem amarras conceituais, a ZUM quer mostrar “boa fotografia” em ensaios, textos e entrevistas. Nesta conversa com Thyago, fico com a sensação de que teremos uma publicação digna, honesta e de qualidade. A ZUM será publicada semestralmente, em outubro e abril. Thyago Nogueira é um jovem fotógrafo e editor da Companhia das Letras. Co-organizador do livro Por trás daquela foto: contos e ensaios sobre fotografia (Companhia das Letras, 2011).

Fotos: Alexandre Belém

OLHAVÊ – Como surgiu a ideia de uma revista sobre fotografia?

THYAGO NOGUEIRA – A ideia não é minha. É do Flávio Pinheiro, que dirige o Instituto Moreira Salles. O IMS já exerce diversas atividades importantes na área da fotografia, mas a certa altura surgiu a vontade de participar ativamente da discussão contemporânea, de mostrar uma parte de tantos trabalhos bacanas que estão produzidos, e de criar um campo de debate para a fotografia – e nada melhor do que uma revista para reunir tudo isso.

OLHAVÊ – A ZUM seguirá uma linha editorial ou grade de seções fixas? Nos conte um pouco sobre a concepção da revista e sua pauta?

THYAGO NOGUEIRA – A única pauta fixa da ZUM é mostrar boa fotografia, bons ensaios fotográficos – uma série coesa de imagens que se desdobra por um certo número de páginas. Resolvemos não ter seções, para ter maior liberdade na hora de inventar as pautas. A revista é aberta às várias vertentes da fotografia (da fotografia de arte ao fotojornalismo, da fotografia de cinema à fotografia anônima ou científica), desde que vistas por um viés interessante. O cruzamento da fotografia com outras áreas, como o cinema, a literatura, também é uma preocupação editorial, para enriquecer a discussão e incluir todos os que se interessam por imagens, de onde quer que venham. Toda edição deve ter ainda uma boa entrevista e um texto importante da história da fotografia, que possa ser lido com interesse ainda hoje.

OLHAVÊ – O IMS tem uma reputação e história de qualidade na publicação de livros. Sem falar na Serrote, que sempre trouxe artigos e ensaios fotográficos. Como a ZUM se encaixará neste portfólio do Instituto Moreira Salles?

THYAGO NOGUEIRA – A ZUM vem ocupar um papel que não havia no IMS, que é o de trazer para o centro da discussão a fotografia recente, que está sendo produzida neste exato momento.

OLHAVÊ – Pelo release que recebi, a primeira revista promete uma bela edição. Inéditas de Miguel Rio Branco, ensaio de Julio Bittencourt, os Becher, polaroids de Robert Frank e imagens do acervo de Jorge Bodanzky. Os infravermelhos de Luiz Braga que são espetaculares. Nos conte o que terá mais na revista?

THYAGO NOGUEIRA – Estamos trabalhando nesta edição há um ano. E a revista acaba de chegar às bancas. Está quente da gráfica. Além do que você menciona, tem fotos do Jeff Wall, incluindo duas imagens que ele ainda não mostrou em nenhum lugar do mundo. Tem uma série de fotos comentada do genocídio do Camboja, que conseguimos escanear com exclusividade através de uma pesquisadora de Phnom Penh. Tem um artigo do Geoff Dyer sobre os fotógrafos que estão usando o Google Street View como forma de documentar o mundo, acompanhado de várias imagens desses fotógrafos. Tem esse material praticamente inédito do cineasta Jorge Bodanzky, que selecionamos depois de olhar milhares de cromos de um caixa quase esquecida. Tem a tradução do texto mais famoso do Henri Cartier-Bresson, que é um aula absolutamente atual sobre a fotografia, apesar de ter sido escrito em 1952. Enfim, conteúdo à beça, pra ser saboreado aos poucos.

OLHAVÊ – Rotular a ZUM como uma revista de fotografia contemporânea pode minimizar o real valor que ela tem? Ou, que contemporaneidade ela nos propõe?

THYAGO NOGUEIRA – Na reunião de pauta, gostamos de dizer que a ZUM é uma revista contemporânea sobre a fotografia.  Isto é, uma revista que olha para a fotografia, qualquer que seja ela, de qualquer época, a partir de uma perspectiva atual, moderna, contemporânea, que abole as fronteiras, a segmentação, e que combina várias áreas do conhecimento na discussão. Também é uma grande preocupação da revista encomendar textos saborosos para acompanhar os ensaios fotográficos. Em certa medida, é uma revista de cultura visual.

Série com fotografis infravermelhas de Luiz Braga

Polaroids de Robert Frank

Juazeiro por Jorge Bodanzky

São Paulo por Jorge Bodanzky 

Texto de Henri Cartier-Bresson escrito em 1952

>>>

Lançamento da revista ZUM / conferência com Peter Galassi:

RIO DE JANEIRO

Instituto Moreira Salles – RJ

6 de outubro, quinta-feira, às 20h

Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea, Rio de Janeiro, RJ

Tel.: 21 3284-7400/ 21 3206-2500

Lugares limitados à lotação das salas

Tradução simultânea

SÃO PAULO

Livraria Cultura Conjunto Nacional

Teatro Eva Herz

8 de outubro, sábado, às 11h

Av. Paulista, 2073 – Bela Vista. São Paulo, SP

Tel.: 11 3170-4059

Lugares limitados à lotação das salas (retirada de senhas a partir das 10h)

Tradução simultânea

Comentários 4

  1. bacana! desde o fim da revista fotosite….eu estava sentindo muita falta de uma publicação impressa …de qualidade…

    vida longa!

  2. rosely nakagawa 06/10/2011

    Escreva aqui
    Maravilha, adorei a amostra. Vida longa para a ZUM

Deixe um comentário