Contra-imagem marron

Comentários 5

Fotos: Pedro David

Pedro David acompanhou a série Mostre o seu Raw e enviou para o blog o seu negativo. Como ele trabalha com filme, é o seu Raw.

Suas palavras, trocadas por e-mail:

A foto faz parte do ensaio Rota: Raiz, que desenvolvo também no Vale do Jequitinhonha desde 2004. Nas mesmas viagens que fazia para o Paisagem Submersa. É uma observação sobre a chegada maciça da globalização no Sertão. Um sertão contemporâneo…

É o negativo sim… mandei para esquentar a discução sobre o raw… negativo digital… Mexer ou não mexer no raw?

Quero dizer com ela que o negativo sempre foi manipulado ao extremo… se não manipulasse, teria que expor essa contra-imagem marron…

Dados: Yashica Mat 6×6 – Kodak Portra 800 – Nikon Super CoolScan 9000, controles zerados. A tratada: Photoshop!

Valeu Pedro!

Comentários 5

  1. Pingback: Pedro David na Holanda e no sertão | Olhavê | Alexandre Belém

  2. Rodrigo Lobo 03/07/2009

    Que Retrato! Sensacional. O negativo é danado mesmo… Mostra coisas (ou registra) além das retinas. Vejam o cangote dela. Tem registro.. que maravilha!. Sem falar dos importantes registros da base do negativo! Dois vivas. Um para quem inventou o C-41 e outro para o japa que inventou o Nikon Super CoolScan 9000.

  3. Pedro, a foto sem duvida dispensa discussão! Acho que não importa se você manipulou pouco ou muito é um direito seu. Filme ou Raw são matrizes para boas imagens que cabe a cada um dos fotógrafos decidirem como vão tratar ou mostrar as suas imagens. Eu prefiro a pós-produzida.

Deixe um comentário